• João Ataide

Análise Financeira Para Pecuária de Corte


 

Que a indústria agrícola do país está em alta, não é novidade, mas muito disso se dá devido as diversas análises de tendência e ciclos de produção realizadas por economistas, análises que ajudam ao produtor tomar a decisão e seguir crescendo durante os tempos. Entretanto, as análises dessas produções não são simples, em especial por se tratar de uma indústria ao ar livre submetida a diversos tipos de variáveis, em especial, a pecuária de corte que possui características plurianuais, possuindo respostas mais lentas referente ao mercado, como você ira ver aqui neste artigo.


Para fazer as análises, necessitei adquirir os dados de diversas commodities, e para isso precisei usar a biblioteca investpy, que possui uma API com comandos para diversos dados financeiros. Antes de dar início, precisei estipular uma janela de programação em que precisa ser maior que 6 anos, devido ao ciclo da pecuária de corte, que neste caso usei de 2004 à 2020. Os dados dos preços destes produtos são os seguintes:


Live Cattle - preço do Boi Gordo Feeder Cattle - preço do Boi em engorda (Bezerro) Dollar - preço do Dollar/Real

Outros dados importantes, são referente aos números de abates dos animais por classe (Bois, Vacas, Novilho, Novilhas e Totais) no mesmo intervalo de tempo, dados retirados do SIDRA sendo usados para validar os ciclos e as sazonalidades das culturas, assim como as ofertas.


Com todos esses dados agrupados chegamos no seguinte dataset referentes aos trimestres do intervalo escolhido, como você pode constatar nas cinco primeiras entradas da tabela abaixo:


Algumas informações referentes aos dados de Feeder Cattle dos anos de 2004 a 2007 estão faltando, mesmo estes não interferindo muito nas análises devido às escalas temporais que usei, fiz uma substituição destes usando a mediana.


Sazonalidade da produção


A sazonalidade são eventos que costumam ocorrer em determinado momento do ano, assim como toda e qualquer cultura a pecuária de corte não difere, entretanto, tal se diferencia devido ao seu comportamento plurianual, modificando então suas culturas ao decorrer das passagens de alguns anos, que geralmente são de 5 a 6 anos.


Agrupei no gráfico acima, o número de abates das fêmeas por ano e trimestre, assim foi possível identificar que no primeiro trimestre é sempre onde tem maior número de abate de fêmeas. Isso mostra a importância da questão da oferta de fêmeas no período de abate, pois quando a oferta está muito alta ela tende a preencher a escala do frigorífico e pressionar os preços da @ de macho.


Mas por que isso é mais forte no primeiro trimestre? Devido ao processo de classificação do produtor, quando as fêmeas que não irão emprenhar novamente no outro ano, assim decorre o descarte maior dessas primeiro e segundo semestre. Outra questão é a redução que ocorre no terceiro trimestre, devido a entressafra, decorrente da não existência de bois de pasto e o momento com menor oferta de fêmeas.


Agora olhe o gráfico acima podemos constatar a decomposição da série temporal do preço do Boi Gordo no intervalo de 2004 a 2019, indicando quais as tendência e sazonalidade do preço.



Assim, quando dei um zoom para o intervalo de 1 ano, pude ver que no começo do ano o preço começa maior que a média, assim, tendo uma queda brusca entre o mês de maio e junho, subindo novamente entre o mês de novembro e dezembro, onde repete. Logicamente devido à pecuária ser uma indústria de céu aberto, como já dito anteriormente, está sujeita a intemperes o que podem variar o preço, além de uma mudança brusca de mercado financeiro relacionado a demanda, como uma pandemia, por exemplo.


Posteriormente analisei a diferença quando colocamos um intervalo de tempo menor para identificar a sazonalidade, veja que o valor de baixa estão aumentando, isso é devido ao maior número de criação por confinamento nos últimos anos, tal efeito se salienta quando encurtamos ainda mais o período de análise, sendo então que a tendência está em mover os menores preços para os meses de setembro e outubro.


Já referente ao preço do bezerro, a sazonalidade é bem diferente do anterior, sua alta de preço está por meados de outubro e novembro, com uma subida entre os meses de baixa do boi gordo, além disso, o seu maior período de baixa está no começo do ano, isso se dá pelo peso do animal, pois devido ao tempo de reprodução que ocorre no final do ano os bezerros ainda estão magros.



Ciclo da produção.


Fazendo uma análise da participação das fêmeas no número de abates dos trimestres, pude ver que tal mostra a força que estas possuem no preço do boi gordo. Note que a linha vermelha e a linha cinza é o preço máximo, projeções demonstram da ociosidade do abate do animal, onde demonstra um ciclo que dura de 5 a 6 anos, podendo variar temporalmente.



Fica mais claro ainda essa interferência quando comparamos o preço do bezerro e a participação das fêmeas, veja que assim que o número de abates de fêmeas aumenta o preço do bezerro tende a ceder, isso é devido a fatores de tomada de decisão do pecuarista, como, quando o preço do bezerro baixa tendendo a abater mais fêmeas para subir as lacunas do mercado.



Já no gráfico abaixo comparo às duas curvas de preço do Boi Gordo e Bezerro, nessa foi possível notar as duas apresentam similaridade, além disso, é possível ver que a quantidade de abates das fêmeas controlas o preço do Boi Gordo e do Bezerro, mostrando que na baixa dos preços existe em relação ao maior número de abates de fêmeas sendo inversamente proporcionais.


Muito disso se dar pelo ciclo do crescimento do gado, onde a gestação é de 9 meses com mais 7 meses de desmame reduzindo a oferta de bezerros, note que com o preço do bezerro e do boi gordo subindo o produtor mantém mais as suas fêmeas gerando mais bezerro, o que gera novamente uma queda no preço e posteriormente maior abate de fêmeas que diminuirá o número de bezerro gerando o ciclo novamente.



Tendência da produção


Analisando a tendência do preço do bezerro é possível notar que essa está em uma fase de aumento de preço desde o ano de 2017.




No entanto, analisando a tendência anual do preço do boi gordo está tendendo a baixa.



Lógico que se tem interferência devido existência de dados faltantes e ter sido efetuado o pré-processamento para substituir estes pela mediana, mas com base nas análises aqui realizadas, é possível concluir que a tendência para o ano de 2021 é o preço do bezerro suba assim como o Boi Gordo.


Todavia, no ponto de vista mensal existe uma tendência de conduzir as suas baixas de preço destes para o mês de setembro, outro ponto notável é o número de abates de fêmeas que tende a baixa, isso pode ser um ponto de alerta para os preços, devido às hipóteses que estes possuem de cair novamente.


Todos os códigos aqui utilizados para análise e consulta dos bancos, estão dispostos no meu repositório do GitHub, caso queira conferir click aqui.